O que é e como evitar a tradução mental do Inglês

Como evitar a tradução mental

Evitar a tradução mental do Inglês, mais que luxo, é mecânica obrigatória. É ela quem nos transporta para a fluência no Inglês, garantindo que, de fato, dominamos este idioma.

Hoje, conversaremos um pouco sobre as questões envolvidas na tradução mental. Com isso, será possível compreender definitivamente as razão para nos livrarmos dela de uma vez.

Ao final, com toda certeza, você terá um objetivo claro: evitar a tradução mental visando melhoras incomparáveis na audição, leitura e conversação.

Vamos juntos?

O que é a tradução mental

Dicas de como evitar a tradução mental

Tradução mental é um fenômeno muito constante. Ele se manifesta no instante em que começamos a aprender um idioma.

E engana-se quem pensa tratar-se apenas de idiomas muito diferentes. Afinal, independentemente da raiz próxima, a tradução mental aparece, e atrapalha tudo.

Ocorre que cada idioma possui sua estrutura padrão. Ela é assimilada naturalmente, pelos nativos. No entanto, ao ser estudada por estrangeiros, a questão fica diferente.

Assim, ao lidarmos com o diferente, parece fazer sentido seguir o que já conhecemos. Verdade? E, eventualmente, funciona.

Logo no início dos estudos, a tradução mental nos ajuda na memorização. Partimos, então, do que já entendemos para explorarmos o desconhecido.

Porém este processo não funciona senão nas palavras isoladas. Na hora de construir frases ou interpretar falantes, a confusão e o erro passam a imperar.

Vejamos exemplos práticos, para aclararmos a questão.

O porque evitar a tradução mental na prática

Mas porque é importante evitar a tradução mental

Saindo um pouco da teoria, partamos para alguns exemplos bem práticos. Eles ilustrarão os perigos e os porquês evitar a tradução mental.

Pensemos, então, em frases comuns de nosso idioma. Depois, tentemos traduzi-las literalmente, ignorando as construções do Inglês. Por fim, comparemos com a realidade:

Você me dá um copo d’água?

Esta frase é muito comum, em nosso idioma, não é mesmo? É informal, simples e bastante objetiva.

Agora, seguindo isso, de traduções literais, tentemos passar a sentença para o Inglês:

  • Você, em Inglês: You;
  • Me – a mim: me
  • Verbo “dar”: give
  • Um: a
  • Copo: glass
  • D’água: of water

Parece certo, não? Construamos a sentença:

You me give a glass of water?

Ou, sabendo um mínimo, reconhecemos que há um erro primário, certo? Afinal, o verbo e objeto têm ordem invertida. Daí, por improviso, dizemos:

You give to me a glass of water?

E então? Funcionou? Seria possível comunicar-se assim e chamar de Inglês? Temo que não… Repare como é o modo convencional e correto de pedir um copo d’água em Inglês:

May you, please, give me some water? | May I have some water?
Você poderia, por favor, me dar um pouco d’água? | Consigo um pouco d’água?

Totalmente diferente do que se conseguiria, não é mesmo? Afinal, estamos não apenas usando o idioma como a cultura dos povos anglófonos na questão.

Fica claro como é perigosa a tradução mental e literal? Entende, portanto, como é necessário evitar a tradução mental, em nossas comunicações?

Como evitar a tradução mental do Inglês

Reconhecer o problema é o primeiro passo para evitar a tradução mental

Reconhecer o problema é o primeiro passo. Agora, é hora de aprimorar-se. Assim, de fato, será possível evitar a tradução mental, conseguindo uma comunicação natural e clara.

Apenas não se engane. Este esforço não é apenas necessário para trabalhar. Não é só na tradução simultânea, na função de professor ou de tradutor.

 Toda e qualquer pessoa que estuda Inglês pode, deve e precisa exercitar-se. A fluência não é algo complicado, difícil, para poucos. Todos estamos convidados ao domínio pleno do Inglês.

Neste caso, é sua hora de superar obstáculos e trabalhar com objetivo. Nossas matérias, todas elas, te servirão muito bem nesta questão. Especialmente pela abordagem de unir diversão e estudos.

Por isso, eu te convido a visitar inicialmente esta matéria: Como aprender Inglês naturalmente. Nela, abordamos diferentes compreensões, que fortalecerão seus estudos e ampliarão resultados.

Dicas como aprender com Música, séries, filmes e podcasts são tratadas com seriamente, por aqui. Afinal, seu aprendizado é sempre nosso prazer.

Agora, mãos à massa. Deixe um pouco o Google Tradutor de lado e comece a aprender de verdade. Você verá como seu progresso será substancial, pela assimilação verdadeira do idioma.

E lembre-se sempre: se nativos dos EUA podem, tenho certeza que você também conseguirá.  Portanto, bom trabalho e conte conosco para tudo!

Quer realmente aprender a falar inglês sem perder tempo? Veja nosso artigo com análise de vários cursos de inglês online.

Até mais, caros alunos!

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Mario Feitosa
Mario Feitosa
Mario Feitosa é músico, compositor popular, poeta e escritor. Atua, também, como professor de idiomas, redator, ghostwriter e revisor freelancer. É certificado, com o C2 Proficiency Level, pelo Instituto EF Education First em seu exame EF SET (Standard English Test).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *