Conhecendo os Verbos Auxiliares em Inglês

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Verbos auxiliares em Inglês

Auxiliary verbs, os verbos auxiliares em Inglês, são responsáveis por darem suporte ao verbo principal de uma oração. Parecem, por isso, menos importantes que outros. Mas não se engane.

Os verbos auxiliares em Inglês são tão recorrentes que, sinceramente, seria impossível se comunicar sem eles. Pois, nos valemos deles sem sequer perceber, tamanha sua importância.

Sendo assim, conheceremos os principais verbos auxiliares em Inglês. Com a ajuda de exemplos, será muito mais fácil memorizar o significado e uso de cada um deles.

Vamos juntos?

Os dois principais tipos de Verbos Auxiliares em Inglês

Quando lidamos com verbos auxiliares em Inglês, temos dois grandes grupos, nos quais se dividem. A saber:

  • Modal verbs: os verbos modais;
  • Auxiliary verbs: os propriamente ditos verbos auxiliares em Inglês.

Sobre os modal verbs, preparamos uma matéria definitiva especialmente para você. Então passe por lá e confira! Pois, está verdadeiramente completa e repleta de exemplos.

Posteriormente, quando voltar, trataremos especificamente dos verbos auxiliares em Inglês.

Vá lá! Eu te espero.

E então? Serviu como luva, não é mesmo? Sigamos, assim, nosso estudo dos verbos auxiliares em Inglês. Tenho certeza que já conhece alguns, mas entraremos mais a fundo, neste artigo.

A natureza dos verbos auxiliares em Inglês e sua importância

Já disse que os verbos auxiliares em Inglês prestam suporte ao verbo principal. Entretanto também disse serem eles muito presentes e de máxima relevância. Mas isso não entrega tudo.

Assim, ocorre que os verbos auxiliares em Inglês dizem respeito à própria natureza de uma ação: o ser e estar. Então tudo que existe, seja real ou mentalmente, está incluído em um desses conceitos.

Sei que está é uma discussão filosófica. Entretanto, o idioma participa, também, dessa metafísica. Por isso tornam-se tão graves os verbos auxiliares em Inglês.

Conto tudo isso uma vez que certos auxiliary verbs foram muito “castigados”, no ensino básico. Por falta de tratamento adequado, muita gente desgosta do verbo “to be”, por exemplo.

Porém certamente, lidando com isso do “ser/estar”, ele acaba sendo um dos mais — senão os mais — importantes verbos da língua inglesa.

Assim, tudo — até mesmo o que nem existe, mas de que falamos — relaciona-se com os verbos auxiliares em Inglês.

As outras ações, embora principais, nas sentenças, apenas recebem valor se relacionadas ao ser e estar. Porque são intrinsecamente relacionadas e modificadas pelos verbos auxiliares em Inglês.

Então, nada de cansaço, hein? Vamos dar o devido valor e crédito aos nossos queridos auxiliary verbs. Então, temos um trato?

Verbos Auxiliares em Inglês

Então deixando o debate filosófico, passemos ao conhecimento prático de cada um dos verbos auxiliares em Inglês. Um a um, entenderemos suas nuanças, usos e significados.

O primeiro deles, como já dei spoiler, é o verbo “to be”. Vamos lá?

Verbo “to be” — O ser e estar

O verb to be sempre costuma ser bem gasto, no ensino fundamental. Por isso ouso afirmar que não recebe o tratamento adequado, nessa abordagem.

Façamos diferente, então. Vamos estuda-lo com carinho e atenção. Afinal, como disse antes, trata-se de um dos verbos auxiliares em Inglês sem o qual nem nos comunicaríamos.

Assim, o verb to be pode se manifestar em duas naturezas, ambas sempre relacionados aos ato de ser e estar. São elas:

  • Enquanto verbo principal: no que a ação de ser ou estar é ideia central da oração. P.ex.: I am a student — Eu sou um(a) estudante;
  • Como verbo auxiliar: prestando suporte ao verbo principal. P.ex.: I am studying — Eu estou estudando (em que estudar é a ideia central, e “estar fazendo isso” a auxilia).

Afirmações com o verbo “to be”

Em todas as aplicações de verbos auxiliares em Inglês, assim, teremos estruturas específicas para afirmações, negações e interrogações. Vejamos, agora, afirmações utilizando o verb to be.

Mas elas seguirão a seguinte estrutura fundamental:

Pronome ou sujeito + verbo “to be” + complementos

Quanto à conjugação, será a seguinte para o presente:

  • I am: eu sou/estou;
  • You are: tu és/estás ou você é/está;
  • He is: ele é, está;
  • She is: ela é, está;
  • It is: isso/isto é/está;
  • We are: nós somos/estamos;
  • You are: vós sois/estais ou vocês são/estão;
  • They are: eles são/estão.

Sendo assim, repare que:

  • A primeira pessoa é a única a conjugar-se como “am”;
  • As demais pessoas do singular são conjugadas como “is”;
  • Pessoas do plural são conjugadas como “are”.

Então, lembre-se do que comentamos na matéria sobre aprender inglês: o “You” comporta-se, normalmente, como um plural por questões culturais. Por isso, no singular ou plural, recebe “are” como conjugação.

John is working at the mall — John está trabalhando no shopping

I am doing my best — (Eu) Estou dando meu melhor

They are visiting theirs parents — Eles estão visitando seus pais

No simple past, o verbo “to be” conjuga-se assim:

  • I was: eu era/estava;
  • You were: tu eras/estavas ou você era/estava;
  • He was: ele era/estava;
  • She was: ela era/estava;
  • It was: isso/isto era/estava;
  • We were: nós éramos/estávamos;
  • You were: vós éreis/estáveis ou vocês eram/estavam;
  • They were: eles eram/estavam.

Aqui, pessoas do singular (lembrando-se da natureza do “you”) conjuga-se “was”. No entanto, as do plural, por sua vez, “were”. Mais simples, não é mesmo?

It was really outstanding! — Isso foi realmente impressionante!

They were travelling last week — Eles estavam viajando semana passada

He was sick yesterday — Ele estava doente ontem

Verbo “to be” em negações

Negações, nos verbos auxiliares em Inglês, são bastante simples. Sendo assim, basta acrescentar a partícula “not” à estrutura da afirmação. Vejamos:

Pronome ou sujeito + verbo “to be” + “not” + complementos

  • No caso da primeira pessoa do singular: I am not | was not;
  • Para as pessoas do singular (exceto “You”): He/She/It is not | was not;
  • Para as pessoas do plural: You/We/They are not | were not.

Há a contração comum na escrita e fala informais, na que se funde o verbo “to be” com o “not”, ficando assim:

  • Para as pessoas do singular (exceto “I” [presente] e “You”): is + not = isn’t | was + not = wasn’t;
  • Para as pessoas do singular: are + not: aren’t | were + not = weren’t.

Interrogações com o verbo “to be”

Portanto, para as interrogações usando os verbos auxiliares em inglês, teremos:

Verbo “to be” + Pronome ou sujeito + complementos da oração

Desse modo, é possível reconhecer uma pergunta desde o início. Isso permite aplicar a entonação adequada imediatamente.

Is John working at the mall? — John está trabalhando no shopping?

Am I doing my best? — Estou dando meu melhor?

Are they visiting their parents? — Eles estão visitando seus pais?

Verbo “to do” — outro dos verbos auxiliares em Inglês mais presentes

Assim como no caso do verbo “to be”, o “to do” se comporta de duas formas diferentes: como verbo principal ou como um dos verbos auxiliares em Inglês.

No primeiro caso, “to do” significa “fazer”:

Do me a favor — Faça-me um favor

What are you doing here? — O que você está fazendo aqui?

Contudo, quando comportando como um dos verbos auxiliares em Inglês, não há tradução imediata. “Do”, então, receberá sentido e significado a depender do contexto.

Do you want marshmallows? Yes, we do! — Vocês querem marshmallows? Sim, queremos!

Afirmações com o verbo “to do”

Na maioria dos casos, o “do” apenas aparecerá, nas afirmações, em respostas encurtadas. Então nelas, o verbo principal é trocado por ele, ficando implícito:

Yes, we do (want marshmallows)! — Sim, nós [queremos marshmallows]

Com [] representando a ideia implícita exposta pela presença de “do”.

Mas quanto à conjugação, nesse caso de verbos auxiliares em Inglês, temos:

  • I do;
  • You do;
  • He does;
  • She does;
  • It does;
  • We do;
  • You do;
  • They do.

Assim, repare que apenas “he”, “she” e “it” possuem variação. A eles — e só a eles — cabe a conjugação “does”.

No simple past, o verbo “to do” conjuga-se “did” para todas as pessoas verbais.

Verbo auxiliar “to do” em negações

Nos casos de negação usando este, dos verbos auxiliares em Inglês, temos o acréscimo da partícula “not”:

Do not | Does not — Did not

Na linguagem informal, também é possível flexiona-los, fundindo-os. Então fica assim:

Do + not = don’t | Does + not = doesn’t — Did + not = didn’t

Exemplificando:

Does she like pizza? No, she does not — Ela gosta de pizza. Não, ela não gosta
Does she like pizza? No, she doesn’t — utilizando a versão flexionada

Do you want some coffee? No, I do not — Você quer café? Não, não quero
Do you want some coffee? No, I don’t — na versão flexionada

Interrogações com o verbo “to do”

Já está um tanto explícito, no entanto apresentemos, também, as interrogações com “to do”.

Então, a lógica seguirá o modelo anterior, comum a todos os verbos auxiliares em Inglês expostos. Fica da seguinte forma:

Verbo “to do” conjugado + Pronome ou sujeito + complementos da oração

Embora já tenha exposto uma série de exemplos acima, trago um especial. Entretanto, os fãs de Tarantino saberão exatamente a que me refiro. Divirta-se com o exemplo:

Verbo “to will” — Construindo o futuro

E, no caso deste dos verbos auxiliares em Inglês, construir o futuro não é discurso, mas, realidade.

O verbo “will” é utilizado para produzir uma das formas do futuro em Inglês. Entretanto, como já tratamos disso em outra matéria, dê um pulo por lá. Vai valer a pena!

Verbo “to have” — Concluindo os verbos auxiliares em Inglês

Como último dos verbos auxiliares em Inglês a trazer, temos o “to have”. Mas, ele também pode assumir-se verbo principal, significando “ter”.

No entanto, quando comporta como um dos verbos auxiliares em Inglês, não há tradução imediata. Como em “to do”, o contexto entrega seu sentido e necessidade, na sentença.

Assim, utilizaremos “to have”, principalmente, em orações do passado. Em especial, o Present Perfect e o Present Perfect Continuous, os quais tratamos na matéria do link.

Então vamos lá! A conjugação ocorre da seguinte forma:

  • I have;
  • You have:
  • He has;
  • She has;
  • It has;
  • We have;
  • You have;
  • They have.

Ou seja: apenas “he”, “she” e “it” possuem terminação diferente. Mas, no caso do passado, todas as pessoas conjugam-se com “had”. Tudo bem?

Trarei alguns exemplos, no entanto, não deixe de visitar a matéria apontada. Pois, lá, você aprenderá como formular afirmações, negações e interrogações utilizando “to have”.

Portanto finalizado a exposição dos verbos auxiliares em Inglês, espero que você esteja fera no assunto.

Entretanto, se permaneceu, ainda, alguma dúvida, será um prazer esclarecê-la. E, para isso, basta você nos deixar um comentário.

Agora, mãos à obra! Compartilhe este artigo com seus colegas. Confira todas as matérias de suporte indicadas e bons estudos!

Quando terminar, volte aqui. Porque teremos produzido novos conteúdos especialmente para você. Afinal, nosso maior desejo é que você alcance a fluência o mais rápido possível.

Até logo, caros alunos! See ya!

Mario Feitosa
Mario Feitosa
Mario Feitosa é músico, compositor popular, poeta e escritor. Atua, também, como professor de idiomas, redator, ghostwriter e revisor freelancer. É certificado, com o C2 Proficiency Level, pelo Instituto EF Education First em seu exame EF SET (Standard English Test).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *